Sucessões Ecológicas

O que são, resumo, exemplos, definição, características, tipos, bibliografia

Sucessões ecológicas: mudanças nas comunidades biológicas
Sucessões ecológicas: mudanças nas comunidades biológicas


 

Introdução - o que são, exemplos


Se consultarmos um dicionário de português para saber o que é uma sucessão, vamos encontrar algo assim: série de acontecimentos que se seguem ou se sucedem em determinada ordem.


Nesse sentido, as sucessões ecológicas são mudanças sequenciais tanto na estrutura quanto na funcionalidade das comunidades biológicas. Em muitos casos essas mudanças seguem padrões mais ou menos definidos.


Os exemplos de sucessões ecológicas podem ser os mais simples, como o surgimento de capim ou plantinhas rasteiras sobre um barranco que experimentou um desmoronamento. Mas também pode ser aquele que abrange uma área imensa e leva muito tempo para se completar: a sequência de eventos que vai desde o derramamento de lava de um vulcão em um terreno até o estágio de uma floresta plena sobre ele.



Características principais


As sucessões ecológicas apresentam os seguintes atributos:


-  Sempre começam depois de um distúrbio natural ou uma perturbação provocada por ações humanas;


-  Podem se iniciar do “ponto zero”, ou seja, os primeiros organismos a colonizar o espaço são muito simples: bactérias, algas, fungos, e plantas não vasculares. Nesse caso, chamamos de sucessão ecológica primária;


-  Podem se iniciar em circunstâncias nas quais já existe uma comunidade biológica. Nesse caso a sucessão é chamada de secundária;


-  Imediatamente após o distúrbio, seja ele leve ou drástico, a riqueza de espécies biológicas é baixa. A maioria das espécies presentes são aquelas da categoria das pioneiras;


-  Após algum tempo, a riqueza de espécies aumenta, sendo então composta por espécies pioneiras, mas também por aquelas da categoria das secundárias;


-  À medida que o tempo passa, a riqueza de espécies atinge o seu máximo: são encontradas espécies das categorias pioneira, secundária e clímax;


-  Muito tempo após o distúrbio ter ocorrido, a riqueza de espécies volta a diminuir, pois algumas espécies pioneiras deixam de estar presentes;


-  Se acontecer outro distúrbio (queda de árvore alta, queimada, maremoto, desmoronamento), a sucessão ecológica se reinicia.



Curiosidade


No caso de blocos de florestas cortadas por ambiente aberto como estrada, pasto ou campo de cultivo, se um bloco experimenta um distúrbio intenso, o outro bloco pode ajudar na sucessão ecológica do primeiro bloco. Ele será a fonte de sementes de sementes de plantas pioneiras, secundárias e clímax.