Cianobactérias

Cianobactérias e suas características, reprodução, fotossíntese, toxinas, microbiologia, resumo, curiosidades, Reino Monera, Biologia

Cianobactérias (imagem aumentada em microscópio)
Cianobactérias (imagem aumentada em microscópio)


 

 

O que são 

 

Antigamente conhecidas como algas-azuis, as cianobactérias são uma subclasse de bactérias e fazem parte do Reino Monera. Já foram catalogadas cerca de 150 gêneros de cianobactérias e, aproximadamente, 1500 espécies. Grande parte das espécies vive em águas marinhas, de lagos, rios e solos úmidos. O acúmulo de matéria orgânica nestes ambientes favorecem o surgimento e desenvolvimento das cianobactérias.

 

Principais características:

 

- São encontradas em diversos formatos: bastonetes, esferas e filamentos.

 

- Realizam fotossíntese aeróbica (usam a água como doador de elétrons e liberam oxigênio). São autotróficos, já que a fotossíntese é a principal forma de obtenção de energia.

 

- Medem apenas alguns micrômetros, ou seja, podem ser vistas somente com a ajuda de microscópios.

 

- Não possuem membrana nuclear.

 

- Podem ser encontradas no formato unicelular, em colônias de cianobactérias unicelulares ou apresentam organização em forma de filamentos.

 

- Grande parte das espécies (não coloniais) possui reprodução assexuada.  

 

Liberação de toxinas

 

Algumas espécies de cianobactérias produzem e liberam toxinas na água que podem envenenar outros animais que habitam o mesmo ambiente ou contaminar a água potável, levando doenças aos seres humanos. As mais prejudiciais para os seres humanos (causadoras de doenças) são as hepatotoxinas e as neurotoxinas. O grande problemas é que muitas destas toxinas não podem ser eliminadas pelo processo de fervura da água ou por métodos tradicionais usados em Estações de Tratamento de Água.

 

Curiosidades:

 

- As cianobactérias existem em nosso planeta a cerca de 3 bilhões de anos.  

 

- Podem alterar o gosto e o odor da água, tornando-os desagradáveis.

 

- Foram responsáveis por grande parte da produção de oxigênio da atmosfera primitiva.